Trava-Línguas Letras B, D e R

Escute a pronúncia do Português Europeo de Portugal.  Você pode perceber a diferença com o Português Brasileiro?

Português ComunicAtivo Unidade de Aprendizagem 4

O Mundo das Palavras

Nível A1do QECR


Trava-Línguas
Os pequenos textos que nesta página se dão a conhecer são denominados trava-línguas e têm a função de aperfeiçoar a pronúncia, além de divertirem quem os lê.
Trava-línguas são conjuntos de palavras de som semelhante que formam frases de difícil pronúncia.

Leia os textos que se transcrevem nesta página e ouça-os, clicando na imagem da direita. Procure seguir, ao mesmo tempo, os trava-línguas transcritos à esquerda. Leia os textos, apoiando-se nas letras B, D e R, exagerando-os, batendo-os bem e com força. Num segundo momento, leia naturalmente os mesmos textos. Aproveite para seguir os conselhos do professor Amilcar Martins, autor deste documento audiovisual

B

À boca de um beco
Na bica do Belo
Um bravo cadelo
Berrava: báu, báu.

Um bêbado, um botas
De bolsa e rabicho
Embirra c’o bicho,
Bateu-lhe co’um pau.


Foi grande a balbúrdia,
A turba se ria,
O bruto bramia,
E o broma a bater!

D

Um doido destes de pedras,
Por nome Andrónico André,
Casado com Dona Aldonça,
Que em vez de dois, tinha um pé.

R

O rato roeu a rolha da real garrafa do rei da Rússia!

O Rato roeu a rica roupa do rei de Roma!
E a rainha raivosa rasgou o resto
e depois resolveu remendar!

A aranha arranha a rã
A rã arranha a aranha
Nem a aranha arranha a rã
Nem a rã arranha a aranha.

Uma aranha dentro de uma jarra.
Nem a jarra arranha a aranha
nem a aranha arranha a jarra.

O livro raro traz tais trechos
que rapidamente se o rasga.

via Trava-Línguas Letras B, D e R

6 técnicas de estudo poderosas para concursos públicos | EXAME.com

 

Quer assimilar e memorizar conteúdos mais facilmente? Veja 6 técnicas de estudo recomendadas por especialistas em preparação para concursos públicos

Fonte: 6 técnicas de estudo poderosas para concursos públicos | EXAME.com

Aprender uma segunda língua é difícil? Pode ser culpa da anatomia do seu cérebro

O formato cerebral pode definir se você terá mais facilidade com um novo idioma, mostra essa pesquisa realizada no Canadá

Cerebro_0_0
Reprodução

 

Cada partezinha do cérebro o faz desempenhar habilidades específicas; e essas habilidades mudam de pessoa para pessoa. Uma condição anatômica, que pode influenciar até na hora de aprender um novo idioma.

Segundo pesquisadores da Universidade de McGill, no Canadá, a anatomia cerebral pode definir se você terá mais facilidade ao falar, ou mais tranquilidade ao ler e entender um idioma diferente.

Durante três meses, 15 adultos falantes de inglês foram submetidos a um curso intensivo para aprender francês. Antes e depois das aulas, os avaliados tiveram os cérebros mapeados por meio de ressonância magnética, assim como demonstraram o quão fluente estavam no novo idioma, também antes e após o curso

Com o escaneamento, os cientistas analisaram duas regiões do cérebro. Primeiro, a parte responsável pela fluência ao falar. Depois, a área cerebral que utilizamos na hora de falar e pronunciar palavras. Cada uma dessas partes foi estudada para saber o quanto elas interagiam fisicamente com outros cantos do cérebro humano.

Voilà! Ao fim do curso, aqueles que possuíam interação física mais intensa da região responsável pela fala, conseguiram pronunciar palavras em francês sem errar. Já quem possuía a área cerebral mais ativa para a leitura foi capaz de ler o novo idioma com mais agilidade.

Segundo os professores Xiaoqian Chai e Denise Klein, que encabeçaram o estudo, esses fatores explicam a facilidade (ou dificuldade) que estudantes costumam ter na hora de dominar um novo idioma. Mas, embora anatomia seja uma justificativa boa, eles também alertam que o “cérebro aprende com a experiência”, portanto o jeito é não deixar de estudar.

Fonte: http://super.abril.com.br